A CBTri
  Identidade Visual
  Circulares  
  Notas Oficiais e Portarias
  Resoluções
  Demonstrações Contábeis
  O Triathlon
  Paratriathlon      
  Federações
  Estatuto
  Antidopping
  Fale com a Nutricionista
  Manual de Regras
  Normas e Regulamentos 
  Treinadores  
  Fale Conosco
  Atletas       
  Convocações
  Novos Talentos
  Calendário
  Resultados
  Quadro de Medalhas
  Ranking             
  Fotogaleria    
  Videogaleria
  Transferência
  Formulário de Recurso
  Contrato de Homologação
  Editais e licitações
  CBTri no Mundo Científico
 
PRISCILA MACHADO - NUTRICIONISTA OFICIAL DA CBTri





Biotecnóloga formada pela ETFQ-RJ (1997)

Nutricionista graduada pela UFRJ (2002)

Especialista em Nutrição e Esporte pela Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN)

Mestrado na área de Bioquímica Nutricional pela UFRJ (2004).

Trabalhou na CBDA de 2004 a 2008 com a Seleção Brasileira de Nado Sincronizado

Palestrante de Cursos de Formação de Técnicos da CBTri, PATCO e ITU.

Atualmente é coordenadora da Pós Graduação em Nutrição Ortomolecular pela FAPES-FACIS-IBHE e docente da Pós Graduação em Medicina Anti Aging do Grupo Longevidade Saudável.

Nome:
E-mail:
Telefone:  
Assunto:
Mensagem:
   
Qual o resultado da
seguinte operação:
: * prove que não é um robô!
 

Nutrição x Nutrição Esportiva
Por Priscila Machado (Nutricionista da CBTri)

De longa data sabemos que a nutrição tem um papel importante na saúde geral das pessoas e auxilia muito ainda aquelas com alguma doença. Porém, quando falamos em Nutrição Esportiva, o que vem à cabeça? Nutrição para pessoas que fazem esporte. Bingo!

Pois bem, os esportistas são divididos em três grandes grupos. Existem os atletas profissionais que recebem dinheiro e apoio para viver em função do esporte, os atletas amadores que competem e se dedicam muito, mas que trabalham e se sobrecarregam e, nesse caso precisam de cuidados redobrados e, ainda existem aqueles que fazem esportes regularmente mas que não participam de eventos competitivos, os quais denominamos como esportistas.


Em todos as pessoas, a nutrição é fundamental para a vitalidade do organismo, ou seja, para auxiliar as demandas do dia a dia, ajudar a controlar o peso, corrigir a ingestão de vitaminas e minerais, entre outras. Porém quando se exercita, essa demanda aumenta e precisa ser planejada em função da planilha de treinamento individualmente para cada um.

Com o passar do tempo a ciência da nutrição evoluiu muito e hoje a no mercado há uma infinidade de shakes, suplementos, vitaminas, poliminerais, todos prometendo milagres à saúde. Mas é preciso uma avaliação cuidadosa para que as engrenagens metabólicas do organismo aproveitem estes recursos de forma otimizada. Afinal, o objetivo da nutrição é a saúde do indivíduo e do atleta é a saúde mais a vitória. Errei?

Para que o desempenho seja alcançado dentro da nutrição esportiva voltada para seu desenvolvimento, é necessário avaliar o indivíduo pontualmente, corrigindo seus desequilíbrios nutricionais (como exemplo A ingestão de cálcio e ferro), modulação do sistema inflamatório e estresse oxidativo (para evitar lesões), ativação do sistema energético (para melhor o desempenho nos treinos), correção do trato digestivo e do sistema hormonal. Assim, tantos os atletas profissionais e amadores (principalmente!!!), precisam de cuidados especializados e direcionados para eles e para seu próprio universo. Isso é diferente de fazer apenas nutrição. E muito mais diferente ainda de tratá-lo como um cliente hospitalar com dieta para internação, percebem?

No atleta profissional nem se fala, a Nutrição ainda requer o cuidado com as viagens, com a altitude e com toda a periodização do treinamento. Costumo dizer que o espinafre do Popeye não existe e sim, trabalho árduo, suor e nutrição correta aplicada ao seu dia a dia.

A interação da mente com o corpo são aspectos novos na busca pelo desempenho máximo e começam a ser discutidos recentemente nos grandes centros de pesquisas de ciências do esforço. Quando se fala em Nutrição Esportiva, você necessariamente precisa ter uma ingestão segura de nutrientes, para que o sistema nervoso central seja capaz de manter suas funções adequadamente e o cérebro não sofra os efeitos deletérios do estresse. O alto desempenho portanto, envolve atualmente, cognição, sono e recuperação!

Visando o sucesso do tratamento nutricional, é necessário ter um profundo conhecimento do indivíduo e aí o acompanhamento torna-se fundamental. Os treinadores prescrevem as planilhas e a nutricionista especialista em Nutrição Esportiva.



Priscila Machado: "Quero ajudar a melhorar os resultados de nosso país"


Nova integrante da equipe da CBTri, a Dra Priscila Machado esbanja motivação ao assumir a função de Nutricionista da entidade. Dinâmica, estudiosa, meticulosa, Priscila conhece profundamente os caminhos do esporte e, como triatleta, os erros, acertos, dúvidas e certezas dos seus pares. Abaixo uma rápida entrevista, na qual é possível saber um pouco do que pensa esta bela que é uma fera em sua profissão.



Qual a sua expectativa para desenvolver esta parceria com a CBTri?

Minhas expectativas são as melhores possíveis, pois, já de longa data sabemos que a nutrição é um dos principais pilares da saúde do atleta. A orientação em relação ao que comer, que horas comer o quanto comer estão diretamente relacionadas à alta performance. Ou seja, quero ajudar a melhorar os resultados de nosso país, trabalhando na base alimentar de nossos atletas.

Como serão as suas atividades?

As atividades envolvem em atender não só pessoalmente os atletas, mas bem como conferir palestras, esclarecer dúvidas, auxiliar os atletas nas viagens e ajudar na compra e seleção de suplementos esportivos.

Basicamente como deve ser a alimentação de um triatleta?

A alimentação do triatleta deve conter 4 refeições, sendo o almoço e jantar com proteínas (carnes, peixes e aves) e legumes. 2 pequenos lanches café da manha e lanche da tarde com laticínios, proteínas isoladas, frutas, cereais, ovos, batatas e pães. Entre elas a prescrição de outros lanches fica em função dos treinos e do local que o atleta estará.

Quais são os principais “pecados” neste segmento que cometem os atletas?

Por ficarem muitas horas treinando (e muitas vezes três vezes no mesmo dia), é comum ao triatleta negligenciar a ingestão de hortaliças nas quantidades adequadas, trocar refeições saudáveis por lanches rápidos e ainda acharem que muitas vezes um polivitamínico tem tudo que ele precisa não sendo necessária uma dieta balanceada.

Qual é a importância para o atleta amador de seguir orientações de um Nutricionista?

Poderia dizer que evitar o desgaste do metabolismo e com isso melhora o rendimento nos treinos! Falo isto, pois muitos trabalham intensamente e vão treinar e desta forma, não tem um descanso adequado.

Qual idade é indicada para o atleta passar a ter acompanhamento de um Nutricionista?

Assim que começar a prática esportiva.