Provas ITU

Brasil no Circuito Mundial da ITU

No final da década de 1980, o triathlon já estava se consolidando no cenário esportivo mundial. Com a fundação da International Triathlon Union (ITU) em 1989 na cidade de Avignon, na França, foi organizado o primeiro Campeonato Mundial da modalidade, no mesmo ano e local. O norte-americano Mark Allen e a neozelandesa Erin Baker foram os grandes vencedores da prova inaugural, ocorrida no mês de agosto.

O evento foi organizado anualmente em data única até 2008, quando a ITU alterou o formato de disputa para uma série de eventos culminando em uma Grande Final. De 2009 a 2011, os eventos foram conhecidos como World Championship Series (WCS) e em 2012 passaram a chamar-se World Triathlon Series (WTS). Também faz parte do calendário da ITU, a Copa do Mundo de Triathlon, um circuito mundial de provas na distância olímpica (1,5km de natação, 40km de ciclismo, 10km de corrida) e na distância Sprint (750m natação, 20km ciclismo, 5km corrida). Criada em 1991, a série chegou a ter 20 provas em uma única temporada, mas a partir de 2009 foi reduzida para menos de 10 etapas. Atualmente, o WTS possui 8 etapas e a WC possui 16 etapas, espalhadas por todos os continentes.

O primeiro brasileiro a conquistar um título mundial na modalidade foi Leandro Macedo, que sagrou-se campeão da Copa do Mundo de Triathlon em 1991. E o gaúcho, que atualmente reside em Brasília, não parou por aí, obtendo também o melhor resultado do Brasil na história de um Mundial, conquistando uma medalha de bronze na edição do Mundial de 1996 em Cleveland, nos Estados Unidos.

Em 2015, Manoel Messias conquistou o título de campeão mundial na categoria Junior na Grande Final em Chicago, nos Estados Unidos. No ano seguinte, o cearense alcançou o vice-campeonato mundial na Categoria Sub23, na Grande Final em Cozumel, no México.

Na Grande Final em Rotterdam de 2017, mais uma cearense fez história. Vittória Lopes alcançou o Top10 na Sub23, melhor resultado de uma brasileira no evento.

Brasileiros no Ranking Mundial

No final da temporada 2003, Mariana Ohata levou o Brasil a sua melhor posição na história do ranking mundial (ITU Points list), alcançando a 10ª colocação. Entre os homens, Juraci Moreira tornou-se o brasileiro mais bem posicionado na listagem, com a 23ª colocação em 2002, feito igualado por Reinaldo Colucci em 2013.

Já Pâmella Oliveira foi a brasileira mais bem posicionada no ranking da World Triathlon Series (WTS), com um 13º lugar na temporada 2014. A capixaba ainda finalizou a temporada na 16ª colocação no ranking mundial (ITU Points List).

ITU - INTERNATIONAL TRIATHLON UNION

Devido à grande procura do Triathlon por atletas dos 8 aos 80 anos, foram desenvolvidos mecanismos para regulamentarem todos os procedimentos inerentes à modalidade, buscando sempre a igualdade entre os atletas e respeitando a distribuição por idade e possíveis deficiências.

Foram criados os Manuais de Árbitros, Regras e Operações, criando um ambiente equalitário e altamente competitivo. Até hoje trata-se de uma das poucas modalidades em que o Campeonato Mundial é realizado em uma mesma semana para atletas com idades entre 16 e 90 anos, distribuídos em faixas etárias, além de um circuito robusto com provas em todos os continentes dedicadas especialmente para atletas de alto rendimento.

Em março de 1989, na cidade de Avignon, na França, foi fundada a International Triathlon Union (ITU), que teve o sindicalista canadense Les MacDonald como primeiro presidente.

Atualmente o Triathlon é praticado por mais de 1 milhão de pessoas, sendo seu principal público atletas amadores que praticam este esporte no intuito de melhorar a qualidade de vida, manter o bom condicionamento físico e até mesmo como forma de lazer.

Triathlon nas Olimpíadas

O ano 2000 representou um marco na história do Triathlon mundial. A modalidade passou a integrar oficialmente o programa olímpico nos Jogos de Sydney, na Austrália. O Triathlon foi visto por meio da televisão por mais de 3.500.000.000 de telespectadores, sem contar as quase 300.000 pessoas que acompanharam a disputa pelas ruas de Sydney.

Além da disputa individual para as categorias feminino e masculino, a partir de 2020 nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, haverá a disputa por equipes: o Triathlon Mixed Relay, um revezamento misto com times formados por 2 homens e 2 mulheres.

Distâncias Oficiais

Sprint, também conhecida como Short
750 m de natação / 20 km de ciclismo / 5 km de corrida.

Olímpica, também chamada de Standard
1.5 km de natação / 40 km de ciclismo / 10 km de corrida.

Longa distância, segundo a ITU pode ser o dobro ou até o triplo da distância standard
3 km de natação / 80 km de ciclismo / 20 km de corrida ou
4,5 km de natação / 120 km de ciclismo / 30 km de corrida

Mixed Relay
300m de natação / 8 km de ciclismo / 2 km de corrida

Meio-Ironman, também conhecido como 70.3
1.9 km de natação / 90 km de ciclismo / 21 km de corrida.

Ironman
3.8 km de natação / 180 km de ciclismo / 42 km de corrida.

×

Olá!

Clique em um dos nossos ajudantes abaixo para conversar no WhatsApp ou envie-nos um email para triathlonbrasil@cbtri.org.br

× Como posso te ajudar?