A CBTri
  Identidade Visual
  Circulares    
  Notas Oficiais e Portarias 
  Resoluções
  Demonstrações Contábeis
  O Triathlon
  Paratriathlon      
  Federações
  Estatuto
  Antidopping
  Fale com a Nutricionista
  Manual de Regras
  Normas e Regulamentos 
  Treinadores  
  Fale Conosco
  Atletas       
  Convocações
  Novos Talentos
  Calendário
  Resultados
  Quadro de Medalhas
  Ranking               
  Fotogaleria    
  Videogaleria
  Transferência
  Formulário de Recurso
  Contrato de Homologação
  Editais e licitações
  CBTri no Mundo Científico
 
Jones Botelho, do sobrepeso ao Sesc Triathlon (TO)
A- | A | A+

Publicação 18-06-2017

Por AI

Uma história de determinação. Assim pode ser definida a trajetória do editor de vídeos, Jones Mendes Botelho. De uma vida sedentária, acidente automobilístico, sobrepeso, atualmente ele corre 8km diários, faz o dobro em média na bike e pratica natação no Centro de Atividades Sesc Palmas, na 502 Norte. Sua ambição maior: participar do Sesc Triathlon este ano.

A história de Jones Botelho comprova que, antes de qualquer coisa, é a determinação pessoal e intransferível, que faz com que as pessoas mudem, alcance outros voos, permitindo-se novos desafios.

Natural de Imperatriz (MA), veio para o Tocantins, notadamente, Palmas, no ano de 1997. Em 2007, aos 24 anos, sofreu um acidente de moto, que resultou em uma fratura exposta no pé direito, ficando um mês internado. Foi submetido a uma cirurgia para a colocação de platina.

Antes deste acidente, ele não praticava qualquer atividade física, apenas jogava bola com os amigos de vez em quando. Nos três meses em que ficou parado, teve que fazer fisioterapia para voltar a andar.

“O médico fisioterapeuta não se limitava apenas a essa atividade em si, ele adotava a esteira, a bike, fazia uma série de exercícios dentro da fisioterapia. Ali eu comecei a me identificar com o esporte. Nesse período eu subi muito o peso, fiquei muito pesado, cheguei a pesar 93kg, enquanto o meu peso normal é de 71kg, que é o que tenho hoje”, lembra Botelho.

Quando saiu da fisioterapia o esporte já estava na sua vida. “Ai, eu vim pro Sesc, fiz academia fazendo musculação, baixei peso.

Daí, depois descuidei, relaxei, voltei a subir o peso chegando a 89kg. Foi quando no ano passado tive um estalo na minha vida. Não estava legal de saúde e comecei a correr no meu bairro, comecei com 2km. Procurei uma assessoria, e aderi à corrida como atividade diária, como estilo de vida. Depois comprei uma bike para ao menos fazer o duathlon, pensei.

Comecei a treinar de igual para igual com os meninos que fazem o triathlon. Mas antes de comprar a bike eu já estava decidido que iria fazer natação, visando o triathlon. Correr os 21km de uma meia maratona foi o meu máximo. Diariamente eu corro de 8 a 10 km.

Nos finais de semanas a gente faz os longões (treinos) que vão de 14 a 21km. E o meu grande desafio hoje para o triathlon é a natação, porque eu não sei nadar”, revelou.

Na piscina de 25 metros do Centro de Atividades Sesc Palmas, na 502 Norte, Jones Botelho está desenvolvendo a técnica da natação, iniciada no dia 10 de fevereiro, sob a orientação do professor de Educação Física, na parte aquática, Paulo Félix da Cunha Ferreira.
 
“O Jones começou aqui conosco visando o Sesc Triathlon deste ano. Já faz a parte da corrida e da bicicleta e veio aprender a técnica do nado para poder fazer a resistência do nado no Lago (de Palmas), que é um pouco mais de resistência e até tem a marola que dificulta um pouco. Então, ele está iniciando, desde a aprendizagem da natação, respiração, propulsão de pernas e braçadas”, afirmou o professor.

Atualmente tem 33 anos, casado, sem filhos, e mora no Residencial Bertanville, na região Sul da Capital. “Meu desafio pessoal hoje é conseguir fazer um triathlon.

Eu já fazia corrida e bicicleta. E faltava a natação. O Sesc é mais viável, o valor, a estrutura. O esporte já é um estilo de vida para mim. Não me vejo mais não fazendo esportes. E sobrepeso, nunca mais”, finalizou.

Para o Sesc, saber que temos um aluno que não sabe nadar e almeja participar de uma prova onde o nado faz parte do desafio, é o reflexo de que os nossos serviços e ações são de excelência. Os colaboradores do Sesc têm orgulho de fazer parte da história de superação do Jones.